fbpx

Diga não à terceirização da educação!
Diga não à terceirização da educação!

Toda a minha trajetória foi dentro da escola pública. Primeiro como aluna e em seguida, como profissional. Comecei a dar aulas na rede municipal aos 19 anos, quando passei no concurso público para professora de Educação Infantil e em seguida, como professora de Fundamental I na rede estadual. Alguns anos depois, com muito estudo e dedicação, passei novamente em outros dois concursos, o de diretora de escola e o de supervisora de ensino na prefeitura de SP, cargo que ocupo atualmente.

Hoje, eles tentam atacar a gestão direta das escolas e os concursos como instrumento democrático e constitucional de ingresso no serviço público a partir do PL 573/21, que terceiriza a gestão das escolas para as OSs, as quais terão autonomia para reorganizar o quadro de professores, supervisores, diretores, vice-diretores e quadro de apoio.

O projeto também ataca o financiamento da educação pública e a autonomia pedagógica das unidades de ensino, ao partir do princípio que uma organização social será melhor para a gestão de uma escola do que um profissional qualificado e concursado, camuflando os verdadeiros problemas da rede, como a falta de investimento, profissionais, recursos e estrutura.

Se aprovado, as desigualdades educacionais serão ampliadas dentro deste contexto já caótico de pandemia, de negação de direitos, de ataques às políticas de inclusão escolar e desvalorização dos profissionais da Educação.

Fazer gestão na escola pública é fazer mediação pedagógica, dialógica e democrática. Completamente diferente das relações de mando e de lucro das empresas. Temos compromisso com nossas comunidades de construir uma educação para a liberdade, criticidade e cidadania.

Ajude a barrar o nefasto PL 573/21. Só a mobilização coletiva nos livrará de mais esse ataque.

Apoie o abaixo-assinado contra o projeto!